Rola na Copa

TAÇA NA MÃO, MEDALHA NO PEITO
05.07.2016

Independentemente do vencedor, o espírito esportivo é quem sai ganhando mais uma vez. Parabéns a todos os participantes e campeões da 17ª Copa Mercantil do Brasil!

SUB-9 (MASCULINO) – BATISTA MINEIRO


Sob a batuta do camisa 10 Estevão e a segurança do zagueiro João, o Batista superou a promissora geração do Coleguium e ficou com o bi.

SUB-11 (MASCULINO) – COLEGUIUM


Os comandados do professor Bruno Ribeiro, grande campeão da Copa Mercantil do Brasil, distribuíram goleadas ao longo da competição. Na final, mais uma vitória arrebatadora: 5 x 0 sobre o Rui Barbosa. A mascote coruja saiu feliz da vida.

SUB-13 (MASCULINO) – MAXIMUS


Após conquistar seu último título em 2013, com o sub-15, a professora Paula volta a levantar o caneco. O belo trabalho em equipe consagrou o atacante Silas, que terminou a Copa como artilheiro da categoria, com 12 gols.


SUB-15 (MASCULINO) – BATISTA MINEIRO


Com um volume de jogo alucinante, o esquadrão azul não deu chances ao Magnum, que eram os atuais campeões da categoria. Triunfo mais que merecido.


SUB-17 (MASCULINO) – ILACIR PEREIRA LIMA


O time celeste abriu 3 x 0 no placar com autoridade. Aí ficou difícil para a brava equipe do Cidade dos Meninos tirar a diferença. Uh, é Ilacir!


SUB-14 (FEMININO) – MAGNUM


Depois de perder a final nos pênaltis em 2015, as meninas do Magnum aprenderam a lição e usaram o tempo normal para superar o Santo Agostinho. Pra variar, a artilheira Marcela deixou sua marca na decisão.


SUB-17 (FEMININO) – TIRADENTES


O professor Noel voltou da aposentadoria para faturar mais um troféu pelo Tiradentes. Em campo, a capitã Mayra e a habilidosa Malu, que marcou de cavadinha sobre o Ilacir, ajudaram a conduzir a equipe que anotou 43 gols ao bicampeonato.


MÃES – MAGNUM


Na revanche do ano passado, as mães do Magnum conseguiram dar o troco no Unimaster. O chutaço da zagueira Bruna garantiu a taça. Magnânimas!


PAIS – SANTO AGOSTINHO


O Santo Agostinho sofreu, saiu atrás no marcador, mas mostrou que não é o maior vencedor da Copa Mercantil do Brasil na categoria à toa: 5 x 1 em cima do São Francisco de Assis.